CCEE alcança a marca dos 4.000 agentes associados

Postado em 2016/07/05 em Novidades

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE fechou o mês de junho com 4.020 agentes, registrando um aumento de 24% em seu quadro de associados em relação a dezembro de 2015. Atualmente, o segmento de consumo representa 63% do total de agentes da instituição. O marco de crescimento no número de associados deve-se, principalmente, à forte migração de consumidores livres e especiais para o mercado livre.

“A livre competição faz bem a qualquer mercado: não é diferente com o mercado de eletricidade. O cenário traz competitividade para a indústria, que é o principal consumidor da energia”, comenta o presidente do Conselho de Administração da CCEE, Rui Altieri. 

“A atual expansão do mercado impacta a CCEE diretamente, em nível operacional e também estratégico. Isso significa adequar nossa estrutura interna para acomodar a demanda que se apresenta, ao mesmo tempo em que trabalhamos em soluções de mercado para garantir um modelo de comercialização seguro e sustentável”, completa o executivo. 

Iniciativas para impulsionar o mercado livre são destaques na agenda de atuação da CCEE. Em 2015, a CCEE implementou procedimentos e adaptou sistemas para operacionalizar a figura do Comercializador Varejista, criada para facilitar a operação dos consumidores de menor porte na Câmara de Comercialização. Atualmente, cinco empresas encontram-se em processo de habilitação para se tornarem Varejistas.

Outra importante iniciativa é a simplificação da medição, cujo marco foi a queda da obrigatoriedade do medidor de retaguarda para consumidores especiais. Ao todo, a CCEE mapeou mais de 800 pontos de medição que se beneficiaram dessa flexibilização nos requisitos.

A instituição também apresentou em 2015 uma proposta para a comercialização de energia excedente da micro e minigeração, que ganhou corpo e entrou no escopo de estudos do Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída – ProGD, do qual a CCEE participa ativamente. A proposta abre novas oportunidades de negócio para o mercado livre.

Fonte: http://www.ccee.org.br/portal/faces/pages_publico/noticias-opiniao/noticias/noticialeitura?contentid=CCEE_379633&_afrLoop=246827056977926#%40%3Fcontentid%3DCCEE_379633%26_afrLoop%3D246827056977926%26_adf.ctrl-state%3Dosqo40jav_49

Voltar